A VILÃ DO FORTALECIMENTO INTERIOR É A FALTA DE TEMPO



O tempo passa despercebido por nós. Nos perdemos entre as tantas atividades diárias impostas pelos outros e/ou por nós mesmos. Nossas Julias criam metas que nos escravizam. As metas e obrigações são como um vício quase que involuntário, imposto pelo sistema social e por nossas crenças de quem foi criada nele.


E a cada nova meta, nos empurramos um degrau abaixo na escada de importância das coisas em nossas vidas. Sem percebermos, vamos passando tudo e todos na nossa frente, até ficarmos tão longe de nós que nos perdemos. Quando notamos isso, e se notamos, a distância da nossa alma já é tão grande que retornar não é tão fácil.


Quebrar o sistema social, sozinhos, é praticamente impossível. Mas quebrar o nosso sistema pessoal, de escravização de nós mesmos, de escanteio da gente, de secundariedade dos nossos sentimentos e necessidades em nossa própria vida é sim possível, mesmo que parcialmente. Parcialmente já está bom para começar.


Ocorre que quebrá-lo dói. Requer fortalecimento interior, não só para mudarmos as coisas, mas principalmente para sustentarmos as consequências das mudanças, em uma sociedade que não mudará em totalidade e tão pouco, no ritmo que desejamos. Mas onde está o fortalecimento em mulheres que não têm tempo para se enxergarem e se autoconhecerem? Se está desenvolvido, está guardado no fundo do seus seres, já com teias de aranha.


Na inércia do corre corre do dia a dia, nos tornamos fracas, passíveis da dominação e manipulação de quem suga o nosso tempo para que não tenhamos condições de pensar em nós e refletirmos. Afinal, quem pensa em si não se escraviza a ponto de se autodestruir. Quem pensa em si impõe respeito. Por isso o corre corre tem que ser interrompido na vida de quem deseja ser dona de si, mesmo que as consequências doam, a princípio.


O tempo livre nos dá calma, leveza de vida, tranquilidade, hormônios em equilíbrio e afins, mas o mais importante e talvez o menos perceptível, nos devolve pra gente! Com tempo, nos reconectamos a nós e as nossas missões de vida, das mais diversas formas, sendo com atividades que nos dão prazer ou simplesmente com o próprio ócio.


É bem verdade que Fulano talvez nos reprove, Beltrano não gostará de ser colocado em segundo plano e Ciclano se afaste de nós por não sermos mais tão disponíveis e úteis a ele. Todos eles talvez se unam para nos forçarem a voltarmos a sermos o que éramos: pessoas que vivem para os outros, total ou mais do que para si. E é aí que a nossa força interior tem que ser cada vez maior.


O fato é que de nada adianta vivermos com os dias lotados de afazeres e de gente ao nosso redor, se não temos tempo para analisarmos nossos sentimentos frente a isso tudo e evoluirmos. O tempo livre é necessário para o autoconhecimento, que quanto mais adquirido,mais desenvolverá o fortalecimento interior e nos permitirá mudarmos cada vez mais as nossas vidas e resistirmos às consequências de tais mudanças, sem sofrimento.


Danem-se os Fulanos, os Beltranos e os Ciclanos que não nos respeitam e por isso se colocam como inimigos do nosso tempo livre. Arranje tempo para você! Ele te salvará da morte lenta e gradual, por qual passa todos que são desconectados de si. A falta de tempo é a vilã do fortalecimento interior e do empoderamento. Pode reparar! E reparar esse equívoco em sua vida.

69 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contato

3.png
190505.png