• Maria Julia

CARTA À MARIANA E AOS HOMENS QUE ME TRAÍRAM



Creio que por todo sofrimento amoroso que já vivi e principalmente pela superação dele, sou bastante procurada para ouvir e consolar dores de amor. E por ter vivido as mais diversas nuances de sentimentos, quase sempre tenho as palavras certas na ponta da língua para acalmar os corações aflitos. As pessoas dizem que consigo expressar exatamente o que elas sentem e dizer o que elas precisam ouvir.


Acontece que outro dia não soube o que dizer à Mariana. Isso porque ela não tinha sido magoada, enganada, traída ou qualquer coisa assim, como já ocorreu algumas vezes comigo. Ela tinha magoado, enganado e traído. E posto a perder uma vida, da qual se deu conta de como era boa somente depois de toda a bagunça estar armada e o parceiro não a querer mais.


Após ouvir seu relato, exposto de pouco em pouco, como se as palavras saíssem da boca dela como facadas no próprio peito, eu não soube o que dizer. Além de eu nunca ter traído e logo, não ter grandes conhecimentos dos sentimentos que movem alguém a isso, sempre condenei todos que o fazem. Assim fiquei sem reação ao perceber que eu teria que incentivar o traidor, que se consumia em culpa, a seguir a sua vida futura em paz.


Fiquei muda ouvindo e pensando em uma velocidade absurda o que eu falaria para aliviar a dor da pessoa que erra, mas verdadeiramente se arrepende e se dispõe a não errar novamente. Nós nunca pensamos que tais pessoas existem, porque talvez sejam mesmo minoria, mas elas existem sim e merecem perdão, no mínimo de si próprias.


Para mim, a traição está muito mais ligada à falta de consciência sobre o amor, quase que a uma ilusão de sentimentos e situações, do que à problemas com o parceiro, uma vez que para todo problema de relacionamento há uma saída, nem que seja sair pela porta da frente, e não pela dos fundos, que é a traição.


E a consciência em relação a isso é como um botão de rosa fechado. A qualquer momento pode desabrochar e o da menina Mariana abriu quando ela se deparou com a perda. Tarde para a relação antiga que foi destruída, e que muito provavelmente já havia falido, mas cedo para que ela possa não errar mais e construir uma nova relação embasada em um amor verdadeiro.


Mariana, de tempos em tempos as nossas consciências se expandem e adquirimos um outro olhar sobre a dimensão do amor. Acredito que isso tenha ocorrido com você quando se arrependeu pela traição ao seu parceiro. Gostaria que soubesse que isso também ocorreu comigo quando lhe vi em desespero esperando uma palavra de consolo sair da minha boca para aliviar a culpa que estava carregando, justo da minha boca, que sempre critiquei quem trai como se todos fossem iguais, sem analisar a existência e veracidade do arrependimento de cada um. Você expandiu mais a minha consciência para o amor quando me mostrou que quem erra pode se autopunir para sempre. Tentando lhe salvar, você me obrigou a lembrar e a verbalizar que a sua vida continuava e você não podia desistir do futuro por seus erros do passado. Afinal, se a vida é um constante aprendizado e evolução de consciências mais ou menos atrasadas, erros não podem ser considerados imperdoáveis. Devem ser encarados como lições que fazem parte do processo evolutivo dos seres humanos. Talvez o seu ex parceiro ainda não esteja pronto para perdoá-la, muito provavelmente pelas dores que ainda sente, as quais o impedem de ver a verdade em seu coração. Mas Deus é capaz de reconhecer que dentro de você mora uma alma boa. Só as almas boas são capazes de refletirem e se arrependerem com sinceridade. E após esse processo, merecem ser felizes. Tenho certeza que muitos fatores profundos lhe induziram a errar, como sentimentos de outras épocas registrados em seu inconsciente, por exemplo, os quais não lhe eximem de responsabilidade sobre os seus atos, mas ajudam a aliviar o peso que você carrega e sua paralisação na vida. O reconhecimento desses fatores, inclusive, permitirá consertá-los, tal como construir uma vida nova. Desejo profundamente que você se reerga, se perdoe e siga em frente tentando de novo, como faz a criança que vai mal na prova, mas não desiste de se formar. Desejo que você se permita viver o seu novo entendimento sobre o amor e a partir de então, possa preservar tal sentimento sublime acima de qualquer instinto do nosso ser humano ainda atrasado. E não lamente mais pelo que ficou pra trás! No fundo, nada que deve ficar em nossas vidas vai embora, muito menos pela dor. Da mesma forma que nada que tenha que voltar, não o faça. Siga forte. Não para que sua filha não fique sozinha nesta terra, desamparada, mas para que ela possa se orgulhar e se referenciar em uma mãe que sabe assumir os seus equívocos, crescer com eles, mudar para melhor. Por fim, obrigada pela oportunidade de poder lhe ouvir e crescer também. Julia lhe daria um puxão de orelha incentivador, mas Maria não deixa e lhe manda um abraço cheio de carinho, afinal, ela entende que as reflexões sobre os nossos erros nos transformam, assim como é só o amor que nos cura. Coragem e avante! Você não está sozinha.


Aos homens que me traíram física ou emocionalmente e se arrependem de coração por seus atos, deixo aqui o meu perdão e desejo para que se perdoem também.

112 visualizações

© 2018 por Maria Júlia fala de amor. Todos os direitos reservados.