NO COMEÇO TUDO É BOM, VAMOS VER DAQUI A ALGUNS ANOS…



O título deste texto é cansativo de tão repetida que tal frase costuma ser. Coitado de todo casal, em começo de relacionamento, que exala a felicidade de amar e escuta de quem já se amargurou demais que seu romance está condenado. Por sorte há os que já desacreditaram, chegaram até a repetir essa frase para casais recentemente apaixonados, mas tiveram a alegria de voltarem a acreditar no amor, se tornando provas vivas de que as coisas não são ruins como dizem por aí. Tais pessoas, acabam fazendo uma marola de esperança contra a onde de que qualquer relacionamento está fadado ao desgaste e ao fim. Antes uma marola, do que nada.


Os sobreviventes das dores de amor se tornaram pela vida, por seus sofrimentos amorosos e superações, aptos a afirmarem para os amargurados, que relacionamentos não são só bons no começo. Podem ser bons sempre, no sentido de felicidade mesmo e não de algum interesse além de amor. Isso acontece, primeiramente, quando sabemos escolher a pessoa certa para construirmos uma vida com valores e objetivos em comum. E depois, quando ambos se dedicam para que o relacionamento sobreviva à transição da paixão para o amor e das mudanças individuais de cada um no decorrer do tempo, respeitando-as, alinhando-as novamente como casal e assim, mantendo o relacionamento saudável.


Também acredita-se que não exista ninguém com boa vontade para se comprometer por anos em fazer um relacionamento ser bom. Os pessimistas acreditam que são as únicas pessoas dispostas a isso na face da terra. Sendo que apesar de serem a minoria, assim como eles, existem outras pessoas interessadas em construir um amor de verdade. Ocorre que cruzar com pessoas que valorizam o amor e relacionamentos exige paciência, expansão contínua de consciência sobre o que é amar, somadas a uma boa dose de determinação em deixar ir quem e o que não se enquadram em nossos desejos, para dar espaço para o melhor chegar.


Felicidade no amor é muito relativa, depende do nível de evolução que o casal tem sobre amar. A felicidade para uns, englobando os requisitos para tal, pode ser tormento para outros, mas jamais felicidade para um indivíduo do casal poderá ser diferente do entendimento sobre felicidade para o outro.


Temos que ter em mente que em um mundo onde prevalecem os relacionamentos Kármicos, atração sexual como prioridade e padrões negativos enraizados em nosso inconsciente sobre o amor e relacionamentos, aquela felicidade de um amor Dármico cheio de paz pode não estar chegando até nós por estarmos sendo energia repelente a isso.


A frase do título deste texto acaba sendo repetida, sem muita análise, por tanta gente e por tanto tempo, que está gravada no inconsciente da maioria das pessoas, tornando-se tragicamente verdade para a vida delas,conduzindo-as para relacionamentos de sofrimento. Sendo que a verdade é que um relacionamento amoroso, como qualquer outro, será sempre o que os envolvidos fizerem dele.


Para um relacionamento não ser condenado ao fim, temos que sair do conformismo e nos posicionarmos como condutores de nossas vidas, seja para atrairmos uma boa pessoa, seja para mantermos o que entendemos como felicidade a dois. Se o nosso relacionamento não é satisfatório, ou estamos com a pessoa errada, ou estamos deixando os dias passarem como se felicidade não dependesse de nossas ações.


Conto de fadas de Marias não existem. Mas um amor bom e duradouro existe sim. Basta aceitarmos que ele não cai do céu e corrermos atrás com a garra de Julia, do primeiro encontro ao dia a dia.


177 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Contato

3.png
190505.png